quarta-feira, 24 de março de 2010

PESSACH, a festa da libertação

PESSACH

Enviado por Efraim Schvaitzer
O calendário judaico é rico em simbolismo, representadas nas comemorações durante todo o ano; umas são alegres e outras nem tanto pois relembram episódios distintos da rica tradição do povo judeu.
Na próxima semana, estaremos celebrando uma das datas mais importantes do nosso calendário: o PESSACH !
Pessach é a celebração da libertação do povo de Israel do jugo egípcio.
Representa a saída dos judeus, escravos que eram dos Faraós no Egito no período da Antiguidade.

Como o calendário judaico é lunar e o nosso calendário gregoriano, solar, as datas dificilmente se repetem a cada ano, assim sendo, este ano a celebração de Pessach acontecerá no período de 15 a 22 do mes de Nissan do calendário judaico, correspondente a noite do dia 29 de março ( 2a feira) e termina na noite de 06 de abril de 2010 do nosso calendário.
Em algumas comunidades é costume dar-se mais ênfase as primeiras duas noites do Pessach, embora em outras comunidades, todos os dias são igualmente comemorados.
Essas celebrações chamam-se SEDER, que significa "passagem" e refere-se a milagosa fuga pelo Mar Vermelho.

Entre os simbolismos presentes em Pessach, destacamos entre outros o " MA NISTANÁ" que significa porque esta noite é diferente de todas as outras? ocasião em que o caçula da família reunida em torno da mesa do jantar, faz essa pergunta ao mais velho da mesa, que responde a pergunta lendo a " HAGADÁ" livro que conta a saída dos judeus da escravidão no Egito.
Um outro símbolo desse período de Pessach, conhecido em todo o mundo é a MATZÁ, conhecida também como " LECHEN ONI" ( pão da pobreza) ou simplesmente pão ázimo, sem levedura, pois representa a saída corrida do Egito quando não tiveram tempo de fermentar o pão.
Vários outros símbolos poderiam ser citados como a KEARÁ, prato típico onde vários símbolos de Pessach são destacados, como o CHAROSSET, uma mistura de maçãs com nozes simbolizando a massa de blocos utilizados no dia a dia dos tempos de escravidão.

Destaco aqui, finalmente, uma tradição milenar presente em todos os lares judaicos por celebração do SEDER de PESSACH:
Uma taça cheia de vinho e uma cadeira vazia, cuidadosamente colocada à mesa da sala de jantar, cuja porta fica aberta de forma a permitir e facilitar a chegada de " ELIAHU HANAVI" que segundo a tradição, ele chega simbolicamente em cada lar judaico para participar e vivenciar por uns instantes, junto com os presentes, a noite festiva de Pessach.
Cordialmente
Efraim Schvaitzer

Nenhum comentário: