quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

EXPOSIÇÃO PERMANENTE NO MORRO DA URCA VAI LEMBRAR OS 98 ANOS DO BONDINHO DO PÃO DE AÇÚCAR.

FOTO HIOSTÓRICA PÃO AÇUCAR Quem for ao Morro da Urca, a partir da próxima semana, poderá embarcar numa nova viagem, de volta ao passado. Na terça-feira, a Companhia Caminho Aéreo Pão de Açúcar vai inaugurar o “Cocuruto” – a história de um fio”, espaço cultural a céu aberto, que contará a história dos teleféricos, criados há 98 anos. O local, que terá uma exposição permanente e interativa, dividida em quatro módulos, em breve receberá mostras temporárias. A visitação será gratuita.
Idealizado pelo diretor de criação Marcello Dantas, o “Cocuruto” quase virou museu. Mas a diretora-geral da companhia, Maria Ercília Leite de Castro, achou que era pomposo demais:
-Ficamos numa área pequena, chamar de museu seria muito pomposo. Mas temos um acervo grande, de fotos, vídeos. O espaço vai enriquecer o passeio.
Entre as curiosidades estão uma engrenagem original dói bondinho e fotos históricas, como a de Steven McPeak caminhando sobre o cabo do teleférico, em 1977. Também há um registro da acrobacia feita pelos irmãos Brueder, em 1967, que deslizaram de motocicleta sobre o cabo do teleférico, entre o Morro da Urca e o Pão de Açúcar.
O “Cocuruto” foi erguido no Morro da Urca. Segundo Maria Ercília, é o espaço cultural mais alto do Rio de Janeiro, a 227 metros de altura. Ele ganhou este nome justamente por ficar num ponto bastante elevado.
A história dos fios estará contada em quatro módulos: o engenho, a arqueologia, o fio da memória e as linhas na paisagem. No espaço, o visitante conhece o maquinário que levou o primeiro bonde em 1912, até o Pão de Açúcar e a relação do ponto turístico com a cidade. Há ainda depoimentos de pesquisadores e pessoas como o jornalista Nelson Motta, que organizou shows de música no Morro da Urca – sem falar em curiosidade, como a utilização do local para locações do filme “007 contra o foguete da morte” (Moonraker5”, de 1979.
Ediane Merola
8-12-2010

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Marlene, entre um banheiro e vários paraísos.

clip_image002Quando alguém é convidado a sentar perto do banheiro em um restaurante, com certeza vai querer mudar de lugar. Mas existe, perto de um banheiro, uma vista deslumbrante da Lagoa, de Ipanema e do Leblon. E é nesse lugar que a MARLENE BEZERRA DE MORAIS está atendendo as pessoas que visitam o Corcovado.

Longe ficou São José dos Cordeiros na Paraíba quando em 1990 ela veio a Rio. Foi um tempo depois, em 2003 que com ajuda de alguém da família achou trabalho no restaurante do Corcovado. “Fiquei no Rio porque eu gosto muito daqui”. E logo comenta algo triste, “chegou a hora de voltar lá, minha mãe, Hilda, está com 90 anos, e me necessita”. Depois de uma breve pausa, outro lugar brilha nos olhos concorrendo com o reflexo da cidade do Rio, “Lá é um paraíso, temos João Pessoa, a segunda cidade mais verde do Brasil, com praias belíssimas”.

Ela faz parte de uma família numerosa. “Família de professores, fui criada com poucos recursos, meu pai era escrivão de cartório e trabalhou muito para dar uma boa educação aos filhos”. Onze filhos! “Agora somos só nove irmãos”. Ela é professora de ensino fundamental, hoje aposentada. Desde os 8 anos ajudou às irmãs professoras aprendendo a falar bem português e dominando a matemática. “Na minha casa existia uma continua chave de correção”, e explica a este gringo que escreve o que isso significa. “Agradeço a meu pai e irmãos essa educação, corrigindo continuamente as palavras faladas e escritas desde criança, e é por isso que eu tive carteira assinada aos 18 anos”. Confessa ter algumas saudades do contato com alunos e os pais para melhorar a educação de outros, mas considera isso algo do passado. Hoje mora no Rio das Pedras e tem namorado no Alto da Boa Vista, mas não deixa de ir a zona sul a passear, e ver de perto a paisagem que continuamente a acompanha no seu dia a dia.

Marlene tem algo em comum com os Guias de Turismo, agradece as gorgetas quando aparecem e quando não, oferece um sorriso calmo e algo tímido. “Tenho um salário, mas as gorgetas ajudam...”

Seja no Rio ou na Paraíba, a Marlene é grata de ser de lá e estar aqui, pois ela menciona só dois, mas o Brasil todo é um paraíso. E ter contacto com os estrangeiros que moram em muitos outros paraísos enriquece sua existência, sabendo que está ajudando aos visitantes assim como ajudou a tantos alunos no passado.

clip_image004

Gerardo Millone, 27 de Novembro de 2010.

(Matéria sugerida pela Guia Renata Hein)

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

OPÇÕES DE SAMBA NO RIO!!!

Mais uma vez recebo de vários Guias artigos que ajudam a todos a ter mais opções para nossos tours. Neste caso, é a MARCIA SILVEIRA quem achou este artigo com AGENDA DE SAMBA em lugares não tão frequentados pelos turistas, mas com enorme sabor local e com toque “diferencial” em vários dias, até DOMINGOS e SEGUNDAS, os dias mais difíceis para oferecer opcional! – Obrigado Marcia!

O roteiro do batuque na Zona Sul

amigos baixa Escrever sobre samba não é fácil, principalmente para quem não tem todo aquele conhecimento num assunto que mexe tanto com o imaginário popular. Durante a apuração, seja numa conversa por telefone com Alfredinho, dono do Bip-Bip, ou num encontro no Tabuleiro da Baiana com Marquinhos, sócio da casa, a vontade é apenas de ouvir as histórias sem fim de uma turma dedicada ao ritmo com mais forte identificação com o Brasil e, em especial, com o carioca.

Em homenagem ao Dia Nacional do Samba, comemorado hoje, a edição desta quinta-feira do GLOBO ZONA SUL traz um pequeno roteiro de rodas de samba da região. A matéria não fala apenas da rodas, aquela turma que prefere o calor da mesa no mesmo nível do público ao palco. A reportagem passa também pelos preparativos das três principais escolas de samba da Zona Sul para o carnaval de 2011, Acadêmicos da Rocinha e Alegria da Zona Sul, do Grupo de Acesso A, e São Clemente, do Grupo Especial. No vídeo abaixo, Roberto Gomes, vice-presidente da São Clemente fala sobre sua relação com a escola e também sobre as dificuldades para o carnaval de 2011.

O barracão da São Clemente, na Cidade do Samba, impressiona. Nas mãos de cerca de oitenta funcionários começam a nascer as primeiras peças de roupa, esculturas e carros alegóricos, que, por enquanto, são apenas eixos com rodas e peças de madeiras que aguçam a curiosidade. Impressiona também entrar no salão nobre do Botafogo e, no ambiente completamente vazio, presenciar uma breve apresentação de Moacyr Luz exclusiva para a reportagem. Logo depois, um bate-papo com o músico - que estréia amanhã o Samba Severiano, na sede do Botafogo - sobre suas lembranças de antigas rodas de samba na Zona Sul do Rio de Janeiro.

OPÇÕES E CONTATOS

ALEGRIA DA ZONA SUL: Ensaios técnicos na Praia de Copacabana aos domingos, a partir de 5 de dezembro. Do Posto 4 ao Posto 6, a partir das 15h.

BANDÃO DA UNI-RIO: Reunião de alunos da Escola Portátil de Música. De 12h30 até 14h na Uni-Rio. A última apresentação do ano será neste sábado, 4 de dezembro, e só volta com o reinício das aulas, em 19 de março de 2011. Grátis. Avenida Pasteur 436, Urca.

BIP-BIP: Roda de choro às terças-feiras, a partir das 21h30m. Roda de samba às quintas, 21h30m; sextas, às 21h30m; e domingos, às 19h. Grátis. Rua Almirante Gonçalves 50, Copacabana. 2267 9696.

FAR UP: Todo domingo às 18h com o grupo Bebe Legal. Homem, R$ 40. Mulheres, R$ 20. Rua Voluntários da Pátria 448, Cobal do Humaitá. 2286-2614.

PROJETO RAÍZES: Todo domingo na Casa Rosa. A partir das 17h. Com feijoada até as 19h, R$ 28. Sem feijoada até as 19h, R$ 15. Rua Alice 550, Laranjeiras. 2557-2562.

SAMBA COM CHUCRUTE: Roda de samba mensal no Baukurs Cultural. Em dezembro, dia 18. Grátis. Rua Goethe 15, Botafogo. 2530-4847.

HIDEAWAY: Todo domingo às 16h, com feijoada liberada de 16h às 19h. Até 19h, R$ 30 de consumação para homens e entrada grátis para mulheres. Rua das Laranjeiras 308, Laranjeiras. 2285-0921.

SAMBA DO CARVALHO: Todo domingo, às 16h, no Boteco du Carvalho. Com integrantes do Gente Fina, Samba do DCE e Bagalô. R$ 10. Visconde Caravelas 22, Botafogo. 2530-4847.

SAMBA SEM ALVARÁ: Uma vez por mês, no Clube Guanabara. Este mês, dia 10, às 22h. R$ 25 / R$ 15 mulher. Informações e lista amiga: <sambasemalvara@gmail.com>. Avenida Repórter Nestor Moreira 42, Botafogo. 2295-2597.

SAMBA SEVERIANO: Amanhã e 17 de dezembro, às 21h, no salão nobre da sede do Botafogo. Segue em todas as sextas de janeiro, fevereiro e março de 2011. R$ 20 e R$ 15 para lista amiga e sócios do Botafogo. Avenida Venceslau Brás 72, em Botafogo. 2524-3881.

SAMBA DO PANCINHA: Todo domingo, às 17h, no Boteco Salvação. R$ 7. Rua Henrique Novaes 55, Botafogo. 2266-1014

SOBRENATURAL: Roda de chorinho às segundas, às 19h30m, R$ 10. Roda de samba instrumental, às quartas, R$ 15. Rua Almirante Alexandrino 432, Santa Teresa. 2224-1003.

TABULEIRO DA BAIANA: Roda Botequim Carioca, toda primeira quinta-feira do mês, às 18h. R$ 10. Eliane Faria e Darcy Maravilha, aos sábados, às 21h30m. R$ 15. Roda Amigos Chegados, aos domingo, 17h. R$ 15 homem e R$ 10 mulher. Avenida Carlos Peixoto 140, Botafogo. 2295-7015.

Fonte: Globo Zona Sul- Enviado pela Guia Márcia Silveira.