domingo, 2 de janeiro de 2011

A MOURA E A INDIA, TESÃO DOS CONQUISTADORES PORTUGUESES.

Gilberto Freyre escreve em Casa-Grande e Senzala, que antes de se misturar com a mulher brasileira, o português, devido ás antigas invasões na península, estava preparado e “incentivado” a acasalar com outras raças.

                    clip_image002 clip_image004 clip_image006

‘O longo contato com os sarracenos deixara idealizada entre os portugueses a figura da “moura encantada”, tipo delicioso de mulher morena e de olhos pretos, envolta em um misticismo sexual – sempre de encarnado, sempre penteando os cabelos ou banhando-se nos rios ou na águas das fontes mal-assombradas – que os colonizadores vieram encontrar parecido, quase igual, entre a índias nuas e de cabelos soltos do Brasil. Que esta tinham também os olhos e os cabelos pretos, o corpo pardo pintado de vermelho, e, tanto quanto a nereidas mouriscas, eram doidas por um banho de rio onde se refrescasse sua ardente nudez e por um pente para pentear o cabelo. Além do que, eram gordas como a mouras. Apenas menos ariscas: por qualquer bugiganga ou caco de espelho estavam se entregando, de pernas abertas, aos “caraíbas” gulosos de mulher”.

Fonte: Casa-Grande e Senzala – Gilberto Freyre, edição 1954.

Imagens: Iracema – Esmeralda – Vasco de Gama.

Pesquisa O Guia Legal – 2011.

sábado, 1 de janeiro de 2011

NOVIDADE 2011 NO PÃO DE AÇÚCAR.

clip_image002

Comecei 2011 pensando que realmente o Rio vai surpreender a muitos nos seguintes anos, e os guias de turismo teremos muitas mais opções para mostrar aos turistas, e novos recursos para facilitar as visitas.

Um bom início foi a inauguração de Passarela lateral que une as duas estações do Bondinho do Pão de Açúcar na URCA. Evita o uso de escadas, e, sobretudo, economiza um enorme tempo de nossos tours podendo ir diretamente sem parar até a outra estação, sobretudo na volta! (na ida estaríamos privando ao passageiro de ver a vista da Urca, mas pode se fazer ao contrário, e ir direto ao Pão de Açúcar e voltar “via Urca”, com lojas, banheiros e lugar para sentar).

Gerardo Millone – 1 janeiro 2011.