segunda-feira, 15 de março de 2010

A origem do @ (arroba)

Enviado por Luciana Belfort (Agente G.B. Internacional)

A origem do @ (arroba)
Na idade média os livros eram escritos pelos copistas à mão.
Precursores da taquigrafia, os copistas simplificavam o trabalho substituindo letras, palavras e nomes próprios, por símbolos, sinais e abreviaturas. Não era por economia de esforço nem para o trabalho ser mais rápido. O motivo era de ordem econômica : tinta e papel eram valiosíssimos.
Foi assim que surgiu o til (~), para substituir uma letra (um "m" ou um "n") que nasalizava a vogal anterior. Um til é um enezinho sobre a letra, pode olhar. O nome espanhol Francisco, que também era grafado "Phrancisco", ficou com a abreviatura "Phco." e "Pco". Daí foi fácil o nome Francisco ganhar em espanhol o apelido Paco.
Os santos, ao serem citados pelos copistas, eram identificados por um feito significativo em suas vidas. Assim, o nome de São José aparecia seguido de "Jesus Christi Pater Putativus", ou seja, o pai putativo (suposto) de Jesus Cristo. Mais tarde os copistas passaram a adotar a abreviatura "JHS PP" e depois "PP". A pronúncia dessas letras em seqüência explica porque José em espanhol tem o apelido de Pepe.
Já para substituir a palavra latina et (e), os copistas criaram um símbolo que é o resultado do entrelaçamento dessas duas letras: &. Esse sinal é popularmente conhecido como "e comercial" e em inglês, tem o nome de ampersand, que vem do and (e em inglês) + per se (do latim por si) + and.
Com o mesmo recurso do entrelaçamento de suas letras, os copistas criaram o símbolo @ para substituir a preposição latina ad, que tinha, entre outros, o sentido de "casa de". Veio a imprensa, foram-se os copistas, mas os símbolos @ e & continuaram a ser usados nos livros de contabilidade. O @ aparecia entre o número de unidades da mercadoria e o preço - por exemplo: o registro contábil " 10@£3" significava "10 unidades ao preço de 3 libras cada uma".
Nessa época o símbolo @ já ficou conhecido como, em inglês, "at" (a ou em).
No século XIX, nos portos da Catalunha (nordeste da Espanha), o comércio e a indústria, procuravam imitar práticas comerciais e contábeis dos ingleses.
Como os espanhóis desconheciam o sentido que os ingleses atribuíam ao símbolo @ (a ou em), acharam que o símbolo seria uma unidade de peso - por engano . Para o entendimento contribuíram duas coincidências:
1- a unidade de peso comum para os espanhóis na época era a arroba, cujo "a" inicial lembra a forma do símbolo;
2- os carregamentos desembarcados vinham freqüentemente em fardos de uma arroba. Dessa forma, os espanhóis interpretavam aquele mesmo registro de "10@£3"assim : "dez arrobas custando 3 libras cada uma". Então o símbolo @ passou a ser usado pelos espanhóis para significar arroba.
Arroba veio do árabe ar-ruba, que significa "a quarta parte": arroba (15 kg em números redondos) correspondia a ¼ de outra medida de origem árabe (quintar), o quintal (58,75 kg).
As máquinas de escrever, na sua forma definitiva, começaram a ser comercializadas em 1874, nos Estados Unidos (Mark Twain foi o primeiro autor a apresentar seus originais datilografados). O teclado tinha o símbolo "@",que sobreviveu nos teclados dos computadores.
Em 1972, ao desenvolver o primeiro programa de correio eletrônico (e-mail), Roy Tomlinson aproveitou o sentido "@" (at -em Inglês ), disponível no teclado, e utilizou-o entre o nome do usuário e o nome do provedor.
Assim Fulano@ProvedorX ficou significando: "Fulano no provedor (ou na casa) X".
Em diversos idiomas, o símbolo "@" ficou com o nome de alguma coisa parecida com sua forma.
Em italiano chiocciola (caracol), em sueco snabel (tromba de elefante), em holandês, apestaart (rabo de macaco).
Em outros idiomas, tem o nome de um doce em forma circular: shtrudel, em Israel; strudel, na Áustria; pretzel, em vários países europeus.

Mais uma novidade no mercado, só faltava essa!!!!

Escreve e envia: Cleopatra Scouris
Li a matéria e estou pasma. Cada dia que passa vejo o desrespeito com a nossa profissão.

Foi nesta Operadora que há pouco tempo morreu uma adolecente no vôo voltando do EUA e nem assim eles aprenderam com a situação pois nao havia um guia credenciado e sim aquele que vendeu a excursão.
Será que o MInistério do Turismo, O SIndicato dos Guias de SP...ninguém vai se mexer?????Tia Augusta contrata meninos colírios para levar grupos
Tia Augusta contrata meninos colírios para levar grupos
Filipe Fortunato, Augusta e Paschoal Fortunato, diretores da operadora com os "colírios" Caíque e Federico
A neta de Paschoal e Augusta Fortunato, de 14 anos, indicou e os avós, donos da operadora Tia Augusta Turismo, não titubearam: contrataram Federico Devito e Caíque Nogueira, eleitos "Colírios" pela revista Capricho, para acompanharem os grupos de adolescentes da empresa para Orlando, nas férias de julho. Os dois já são fenômeno na internet, com milhares de seguidoras no Twitter e são estrelas do blog Vida de Garoto.
O acerto da escolha (a dúvida ficou entre eles ou globais de Malhação) pô de ser comprovada hoje, durante sessão de cinema em São Paulo para potenciais clientes. As meninas nem prestaram atenção no filme Idas e Vindas do Amor e sim na dupla de "colírios" que estava a sua frente. Segundo Tio Fortunato, a quantidade de consultas está enorme e a iniciativa será um sucesso de vendas. A Tia Augusta, que opera Orlando há 35 anos, já transportou mais de 300 mil jovens para os parques temáticos da região.
Na próxima semana haverá outra sessão de cinema, para mais 300 potenciais clientes. E o trade vai ganhar uma ação em um teatro da capital paulista. Todos poderão assistir à peça TPM.