terça-feira, 9 de março de 2010

Opções de Turismo na comunidade Babilônia

GUIAS
O Guia Legal divulgou ultimamente três opções de Tours na comunidade de Babilônia.
Solicitei me enviem uma informação geral sobre o que oferecem e aportam à comunidade.
Com diferentes propostas, no fim das contas, todos aportam para que este opcional exista.
Envio os e-mails recebidos, e os endereços eletrónicos para assim poder solicitar as informações dos serviços oferecidos.
Gerardo Millone - 9/03/2010

E-mail do Raphael Raine.(resumo)
"Nós da Cooperativa de trabalhadores em reflorestamento e preservação ambiental dos Morros do Leme, Babilônia e São João, atuamos na região desde 1995, recuperamos toda a área natural com o plantio de mais de 200 mil mudas que hoje compões uma bela trilha e um trabalho premiado em todo o Brasil.
Possuímos a licença da prefeitura, para atuar na região e conhecemos profundamente a área para guiar turistas no local..........................................................................................................................................................
Os condutores tiveram capacitação em condução em trilhas e turismo, possuímos guias EMBRATUR.
enfim todo trabalho através de um projeto e hoje em dia como temos a pacificação...............................................................................................................................................
Contamos com a força dos guias e agências para que um trabalho tão valoroso, não seja apenas motivo de arrecadação de capital, mas sim algo sustentável, com qualidade e segurança".
Raphael Raine - Turismólogo responsável. ecoturismobabilonia@gmail.com

E-mail da Isabel Erdmann. (resumo)
.................................................................................................................................................................
"Faço turismo social, cada turista que faz o tour comigo deixa um dinheiro que vou dar em forma de doação de comida, materiais ou outra coisa para a chreche das comunidades no Chapéu Mangueira ou para o posto de saúde das communidades.
Não dou dinheiro para o reflorestamente porque sei que eles recebem um salário do Rio Sul para fazer reflorestamento e também, contrário a o que ouvi falar da cooperativa, cuidar da única trilha que leva para o topo do morro.Porque quem não tem trilha para chegar nas arvores não pode cuidar dos arvores.
Meu passeio está descrito em inglês (e daqui umas semanas também em português e alemão) no link: http://lemebabilonia.multiply.com/jornal/item/3"
Um abraço:
Isabell Erdmann: isabell27@btopenworld.com

E-mail de Brice de La Sèrviere (resumo)
"Estive com o presidente da Coopbabilonia e associação de moradores da babilônia Carlos e com o presidente da associação dos amigos e moradores de Chapéu Mangueira Valdinei Medina. ........................................................................................................................................................... Existem dois projetos um da comunidade da Babilônia mais antigo e um da associação de moradores de Chapéu Mangueira.
Para deixar bem claro em relação a minha atuação eu sou simplesmente o indutor do projeto de turismo no Chapéu Mangueira ajudando na formação de pessoas e na organização do pólo turístico pois sou amigo de vários anos do novo presidente da AACM do Chapéu Mangueira Valdinei Medina,trabalhando como voluntario. Nosso projeto começou a mais de três anos bem antes da instalação da UPP e com a eleição para presidente do Chapéu Mangueira Valdinei Medina fizemos uma maior divulgação sendo que o programa já estava a dois anos no catalogo de empresas na frança pois tínhamos o apoio da Quimbaya Tours. Fizemos uma maior divulgação com a matéria que saiu na primeira pagina do globo do dia 31/01/2010 realizada a pedido do presidente da associação de moradores do Chapéu Mangueira aonde falamos dos dois projetos. Temos como parceiro a Rios de Historia e já trabalhamos com a BIT a SAS e diversos guias, Hostels e hotéis.
O projeto Chapéu Tour pertence a associação de moradores do Chapéu Mangueira e dos moradores que participam do projeto. Toda a renda das visitas fica na comunidade facilmente comprovado pela prestação de contas da AACM via a contribuição de turismo.
A renda obtida ajudou na pintura da creche realização de mutirões de limpeza no Chapéu Mangueira e despesas da associação.
Os presidentes das duas associações estão a disposição para prestar as devidas informações e penso que os projetos são interessantes e devem ser divulgados pois inserem os moradores no mercado de trabalho de turismo.
Fiz a divulgação para eles mais quero deixar bem claro que estou somente ajudando com meus contatos e experiência(pode entrar em contato com a guia Paula Novaes, Mauro Lippi, Christine Touzé, Raul Melo, Jerome Chardonet para ter as impressões deles sobre o projeto e as visitas).
....................................................................................................
O projeto tem por finalidade trazer renda e criar empregos na comunidade além de ajudar a associação de moradores. Para nós guias e uma ótima opção segura e caso tenha a oportunidade de ver o que estamos realizando tenho certeza que ficara tão empolgado quando eu estou. Sou morador do Leme e acho ótimo para min e minha filha que vai crescer no bairro que este projeto funcione.
Desde o começo criamos um restaurante na Laje da Dona Diuza que recebe os turistas para o almoço, estamos organizando Hostels sendo que já existe um em funcionamento além de só utilizar mão de obra da comunidade acompanhantes e transporte.
Pode divulgar os dois projetos da Chapéu Tour e Coopbabilonia pois eles trabalhãm em parceria e pertencem aos moradores através da cooperativa ou associação".
Brice de La Servière: e-mail: chapeutour@hotmail.com, blog: chapeutour.blogspot.com

Envio aqui a informação sobre o grupo Coopbabilonia:
César Zebiranato explicou como o Guia pode contatar os serviços deles. Ligando para a Coop Babilônia, 2295-6649, de segunda a sexta das 9 ás 17 h., pode-se marcar a visita pagando à cooperativa por pax, com mínimo de 3 pax. No caso de ter só um ou dois pax, o valor varia. Um guia credenciado acompanhará a caminhada, sendo o ponto de encontro a entrada da ladeira Ary Barroso no Leme, perto da Paróquia Santa Rita de Cassi na rua Pedro Álvares Cabral. Também pode-se subir pela Lauro Muller em Botafogo.

Um comentário:

Jaz disse...

A few hostels in country areas which are not often crowded, will not put you in the same dorm as 'strangers', which is great as long as they charge you the same price.

Buenos Aires Tourism